Secretaria de Meio Ambiente de Crateús alerta sobre perigo das queimadas

Secretaria de Meio Ambiente de Crateús alerta sobre perigo das queimadas

No Ceará, entre o período de 1º de janeiro a 23 de setembro de 2017, foram registrados 718 casos de incêndios, sendo 429 ocorrências somente de 1º a 23 de setembro. Considerando o período de setembro em comparação com o mês anterior houve aumento de 177%. De julho para agosto o percentual de aumento foi maior: 365%. Passou de 26 no mês de julho para 121 em agosto.

De acordo com Rogério Oriano, Secretário de Meio Ambiente de Crateús (distante 349 km de Fortaleza), a prática tem aumentado no município, ocasionando prejuízos para a população. Rogério lembra que a prática de queimadas, bem como queimar lixo é crime ambiental.

"É importante que a população não queime lixo, evite fazer queimadas e ao saber de algum foco de incêndio, informar à Semam imediatamente. A prática é danosa à saúde das pessoas, destrói a fauna e a flora, além de outros prejuízos ao meio ambiente", afirma o secretário de Meio Ambiente.   

Os dados são do Programa Queimadas, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Programa faz monitoramento diário, por satélite, de queimadas e incêndios em todas as regiões do Brasil.

De acordo com o monitoramento do Inpe, os meses de outubro, novembro e dezembro, época de ventos fortes e falta de chuvas, são os que registram maior número de queimadas e/ou incêndios. No Ceará, o ano de 2003 é o campeão de ocorrências: 8.318. Considerando apenas o mês, no mês de dezembro de 2004, ocorreram 3.154 queimadas e/ou incêndios no Ceará.

Nos últimos dois dias não choveu em nenhuma região do estado, e o Ceará já está com quase 120 dias consecutivos sem chuvas e a previsão é de que a umidade relativa do ar permaneça baixa, com menos de 40% em quase todas as regiões do estado, segundo mapeamento do Inpe.

Ventos fortes, falta de chuvas e umidade baixa são pré-requisitos para o aumento de queimadas na região. Com isso, o Ceará figura com alto risco de ocorrências nos próximos dias.

Monitoramento
Os satélites do Inpe conseguem diagnosticar todos os focos de incêndio que tenham pelo menos 30 metros de extensão por um metro de largura. De acordo com o Instituto, quase todas as queimadas são causadas pelo homem, seja de maneira proposital ou acidental. Estão entre as razões de incêndios e queimadas estão limpeza de pastos, preparo de plantios e desmatamentos.

Rogério Oriano destaca que as queimadas destroem a fauna e a flora nativas, causam empobrecimento do solo e reduzem a penetração de água no subsolo, além de gerar poluição atmosférica com prejuízos à saúde das pessoas e à aviação. O secretário lembra ainda que a população de Crateús pode denunciar incêndios criminosos diretamente à Secretaria de Meio Ambiente de Crateús, ao Corpo de Bombeiros, e ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).